Fique expert em diferenciar pandemia, epidemia, surto e endemia

Quando o Corona Vírus se instalou na China, alcançou em pouco tempo diversos países. Não demorou muito para a pandemia ser decretada oficialmente. No entanto, poucas pessoas sabem o real significado desse termo. Além disso, outras nomenclaturas que circulam, também são alvos de confusões, dúvidas e falta de clareza.

É sobre o esclarecimento dos termos que será abordado neste artigo. Pois se trata de uma informação importante para a saúde de todos nós. Será abordado também, temas sobre a inclusão dos tapetes sanitizantes e máscaras na rotina, após o término da pandemia. Acompanhe!

Descubra as diferenças entre Surto, Epidemia, Pandemia e Endemia

Aplicar termos existentes, mas em circunstâncias erradas geram problemas graves. Por exemplo: definir uma doença como pandemia, quando na verdade é um surto, provoca relaxamento nas medidas de segurança. Logo, a população fica vulnerável.

Assim como, decretar de maneira errada que a dengue é uma pandemia, pode apavorar as pessoas. Isto é, precisamos entender o real significado dos termos, a fim de evitar pânico desnecessário ou gerar vulnerabilidade em situação de risco. Veja a seguir, o significado correto de cada um deles:

Surto

O surto acontece quando um vírus se espalha e infecta uma quantidade de pessoas em uma determinada região. Ele pode durar dias, semanas, meses ou anos em épocas específicas. Outra característica é seu aparecimento repentino, considerado acima da normalidade pelas autoridades da saúde. A análise é acompanhada desde os primeiros registros da doença no local. Quando o surto é confirmado por meio de dados, um novo levantamento é realizado para determinar medidas para impedir sua evolução.

Epidemia

A epidemia é a expansão de um surto que não foi controlado. Ela alcança diversas regiões, bairros, cidades e estados de um país. Por exemplo: a dengue foi considerada inicialmente como surto, porque começou em uma determinada localidade de forma súbita, em uma quantidade acima do padrão. No entanto, ela se espalhou de modo veloz e afetou outras regiões do Brasil. Consequentemente, foi decretada tempos depois como epidemia.

Pandemia

Pessoas se protegendo como podem

O melhor exemplo de pandemia é a que estamos vivendo no momento, no caso do Corona Vírus. Ela é uma evolução da epidemia que se expande para outros continentes. Além disso, é caracterizada por infectar inúmeros continentes em curto espaço de tempo, em larga escala e fora do controle. Dependendo da gravidade, atinge uma escala mundial de contaminação.

O contágio da pandemia ocorre por meio da transição de passageiros de um país para outro, por meio das aeronaves. O fato do Corona Vírus apresentar sintomas similares de uma gripe, ou simplesmente não manifestar nada é que facilita a formação da pandemia.

Endemia

A epidemia e a pandemia são determinadas pela quantidade de contaminação. No entanto, a endemia é classificada pela frequência que uma doença ocorre. Ela também pode ser própria de uma região ou período. Por exemplo: algumas doenças ocorrem no inverno, sendo uma doença sazonal endêmica.

Agora que você entendeu as principais diferenças, podemos retomar à realidade atual da pandemia. Sem dúvida, é perceptível que essa fase exige de nós, cuidados redobrados. A gravidade da pandemia está centrada no grau de contaminação que ela exerce. Portanto, tudo que estiver ao nosso alcance, que pode reduzir o risco de contaminação, é válido. Uma das formas adotadas nos últimos tempos é o uso de tapetes sanitizantes em empresas, comércios e residências. Será que esse produto e as máscaras serão mantidos, após a pandemia?

Hbitos novos: tapete sanitizante e máscaras após a Pandemia?

Segundo a neurociência, um novo hábito se instala após 3 semanas. Se pensar sobre a pandemia, ela está presente no cotidiano há uns meses. É muito provável que algumas regras impostas possam ser adotadas como um novo hábito.

No Japão e países asiáticos por exemplo, já é costume usar máscaras em dias de gripes e resfriados nos locais públicos. Até mesmo, dentro de casa evitando contaminar seus familiares.

O uso de álcool para evitar a proliferação do vírus tem sido comum atualmente em todo o mundo.

alcool gel

Será que o hábito do uso de máscara e tapete sanitizante podem pegar após a pandemia do Corona Vírus? Antes de adivinhar a resposta, podemos analisar a função delas. Como mencionei anteriormente, alguns países já adotam a máscara como parte da vida deles. Por que não adotar no Brasil? A pandemia despertou em muitos países a cultura colaborativa, que até então era pouco visível. Por isso, é possível que essa rotina passe a ser adotada após esse período. Mesmo porque, para evitar um surto que se converta em pandemia novamente, é muito provável que o uso de máscaras seja mantido.

Com os tapetes sanitizantes não é diferente, porque eles são úteis para manter os ambientes livres de bactérias e vírus. Por exemplo: em países asiáticos não é permitido entrar em residências com sapatos, pois propaga a contaminação de bactérias. Porém, com esses tapetes já é possível desinfetar a sola dos sapatos. Ou seja, é ideal para a saúde de todos, inclusive de famílias com crianças e animais. Afinal, eles gostam de deitar no chão e são alvos de germes nocivos para a saúde. Decerto é algo para se pensar!

Nesse artigo, explicamos as principais diferenças entre surto, epidemia, pandemia e endemia. Entender essas nomenclaturas conscientiza a gravidade das doenças que têm surgido. Com isso, podemos nos prevenir adequadamente. Por fim, adotar o uso de tapetes sanitizantes e máscaras na rotina, é uma solução segura para a saúde.

O que você achou do artigo? Queremos trazer novos conteúdos, por isso sua opinião é muito importante. Deixe aqui seu comentário!

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.